Representatividade negra no Judiciário

No mês passado em Brasília, aconteceu o I Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros. O encontro reuniu de forma inédita magistrados, advogados, promotores, defensores públicos e militantes do movimento negro para denunciar a urgência de políticas públicas que promovam a representatividade de uma parcela da população até hoje escassamente representada no Judiciário e no Estado Brasileiro.

Já estamos na quinta geração pós-abolição e os números da participação negra no Judiciário e no Estado brasileiro são vergonhosos e inaceitáveis. Não podemos normalizar essa situação de só encontrar brancos em determinados postos quando a população do país é 53% negra. É uma situação anômala e não é só um problema negro, mas da sociedade brasileira”, disse a magistrada, que atua na seção da Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Vale lembrar que, segundo último levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), a população carcerária do Brasil chegou ao número de 622.202 presos, dos quais 61,6% são negros. E quando sem fala da mulher nesse cenário, as estatísticas chocam:

A maioria das mulheres presas no país (68%) é negra, enquanto 31% são brancas e 1%, amarela. No Acre, 100% das detentas eram negras em junho de 2014. O segundo estado com o maior percentual é o Ceará, com 94%, seguido da Bahia, com 92% de presas negras.

De acordo com o juiz do TJDFT e organizador do evento Fábio Esteves, a representatividade negra é necessária não apenas para refletir a diversidade etnicorracial do país, mas também porque influencia as decisões do Poder Judiciário, especialmente considerando-se o número de réus da justiça criminal que são negros. “O Poder Judiciário precisa ser tão plural quanto a sociedade brasileira para ser constitucional, pois de acordo com o artigo 3º da Constituição, é objetivo da República Federativa do Brasil construir uma sociedade livre, justa e solidária”, disse.

Infelizmente o que tenho são apenas notícias de diversas fontes jornalísticas sobre o evento, não estive presente e só posso dar meu parecer diante do que li, por esse motivo são bem rasos meus pensamentos no sentido de que, “o que mudará de fato com o aumento de representantes negros no judiciário brasileiro?”.

É sabido, tanto por operadores do Direito quanto por leigos que, a discriminação racial dentro do judiciário brasileiro, principalmente na esfera criminal é latente, iminente e perversa, e de fato é mais do que urgente pessoas que realmente compreendam na pele (literalmente) o que é ser negro e réu no nosso país.

Espero que as ideias desse debate não fiquem apenas em papéis timbrados escritos em “juridiquês”. O encontro já foi um avanço, vamos ser otimistas!

Continue Reading

Quero publicar um livro! E agora?

Desde que publiquei oMinha Vida Contada em Poesiasempre me perguntam… “Como você fez?”, então aqui vão algumas dicas…

💡 POR ONDE COMEÇAR?

Escrevendo meu bem! Escreva, rabisque, até uma boa ideia aparecer.

💡 DIVULGUE!

Divulgue parte dos seus textos para amigos, família… Mas procure mostrar para pessoas sinceras, pois se o seu texto estiver sem nexo, confuso, chato, péssimo, você realmente vai saber!

💡 REVISE

Quantas vezes forem necessárias! E quando achar que está bom, REVISE mais uma vez!

Aqui é o momento mais IMPORTANTE (na minha opinião) para quem quer despertar o interesse de alguma editora. Se você não é um expert na língua portuguesa, tio “Google” e o querido “Word” estão aí pra te ajudar (PRA CARAMBA A BEÇA), então amores, nada de “concertezas”, nem “agente” (a não ser que você esteja escrevendo um conto policial), ok?

Bem… Em terra de “Whatsapp” e “Snapchat”, quem souber diferenciar “mas” de “mais”, está no lucro e tem grandes chances de ter seu original ACEITO!

💡 REGISTRE

Texto escrito (DIGITADO POR FAVOR) e devidamente revisado, hora de IMPRIMIR e registrar.
ONDE? BIBLIOTECA NACIONAL
http://www.bn.br/servico/direitos-autorais/registro-ou-averbacao

Acesse o link que lá tem todas as informações! O valor é R$ 20,00 (vinte reais).

💡 ENVIE SEU ORIGINAL

Depois de registrar sua obra, é hora de enviar o original! Aqui as palavras chaves são: BOM SENSO, PROFISSIONALISMO e CAPRICHO.

Estude e entenda seu público alvo e procure editoras que publiquem esse gênero. Se você escreve Poesias como eu, não adianta mandar seu original para uma editora que só publica ficção. PESQUISE!

Há editoras que recebem os originais através de documento em PDF, já outras somente pelos Correios. Porém, tanto num caso como no outro é necessário que o seu original seja enviado de forma mais caprichosa possível. Acompanhado de um breve resumo do conteúdo e um “micro” currículo, para que o editor saiba quem é você (nada de gaiatice, seja profissional!).

💡 ESPERE (NÃO SUFOCA)

Por fim, ore e ESPERE! Não fique ligando nem mandando e-mails para a editora, isso é queimação total de filme! Se tiver que acontecer, vai acontecer!!!

 MINHA EXPERIÊNCIA

Minha intenção inicial era pagar uma gráfica para produzir o livro e assim eu comercializar de forma independente. De tanto eu ler e ouvir o quão difícil era uma editora publicar um livro de um “desconhecido”, de cara já descartei essa possibilidade. Mas um dia resolvi “arriscar”, ora, não tinha coisa alguma a perder!
Segui os seis passos acima e… Quinze dias depois, recebo o seguinte e-mail:

Date: Thu, 27 Feb 2014 11:08:38
Subject: Editora Multifoco
“Cara Ananza,Seja bem vinda! A Multifoco aprovou seu original para publicação


Ahhhhhhhhhhhhhh!! Pensa na minha F-E-L-I-C-I-D-A-D-E!!! Só não pulei na hora porque estava no escritório :/ (mas lógico que fui pro banheiro fazer UhULLLLLL🙋) 

Por mais que meus textos fossem meus mimos, não imaginava que um dia escreveria um livro, muito menos que fosse publicado por uma editora sem eu pagar nadaaa!

🗣 CONCLUSÃO: Tudo tem seu tempo determinado debaixo do céu. Acredite em você e tenha fé em Deus! Ele sempre tem o melhor pra todos nós 💙 E se não aconteceu ainda, é porque não é a hora!

Espero que tenham gostado do post  Se caso ficar alguma dúvida ou quiserem saber mais sobre algum assunto específico, deixe aqui nos comentários que eu respondo tudo!

Beijos,
Fiquem na paz.

 

Continue Reading

24 de maio – Dia do detento

24 de maio, dia do detento.
Dia de comemorar as lágrimas diárias de uma mãe;
Dia de celebrar a revista feminina humilhante nos presídios;
Mais um dia sem ter sequer a previsão de um julgamento.

Dia do detento. Por que mesmo?
Hoje não terá ratos e baratas nas celas?
A refeição será entregue de forma digna?
Corpos não serão mutilados neste dia?

O processo vai andar Excelência?
Hoje é nosso dia.
Mas chutaram a barriga da mina, chamaram de vagabundo aquele que ainda está no ventre.

O sangue está correndo pelas grades;
LEP é utopia, o Estado mata mais do que a facção rival.
Dia do detento. Talvez seja para movimentar o “comércio” local.

Continue Reading

Se não retirar o lixo, os ratos voltam…

Como todos os meus textos, não tenho a menor pretensão de ser “lida” como verdade absoluta, apenas quero te fazer refletir…

Quantos anestésicos você tomou no último mês? Quantos repelentes usou? Até quanto vai usar paliativos para essa sua dor crônica?

Pensa numa casa cheia de lixo, pensa no odor… Em vez de retirar o lixo, você usa “bom ar”; coloca ratoeiras, usa repelentes, e vai “tapeando” até quando der. A ilustração parece ridícula não é mesmo? Mas é o que a maioria de nós fazemos todos os dias com a nossa própria vida.

É mais cômodo fingir que não viu aquela pessoa, do que ligar e pedir perdão, ou melhor, dizer: eu te perdoo.

“Devo e não nego, pago quando puder”, mas por que você não para de comprar e negocia sua dívida?

Tem ido à farmácia como no supermercado, não é mesmo? E ao médico, quando vai?

Rancores, ódio, dores, incertezas, egoísmo, vaidades. Lixos acumulados na alma da gente que já nos acostumamos, nos acomodamos! Os paliativos servem para dizer: “Está ruim, mas nem tanto, dá para esperar mais um pouco”. Uma mentira que nos conforta, mas os ratos estão ali, entorno, esperando uma brecha para te atacar, afinal o lixo você até agora não decidiu tirar.

Suscetível a uma depressão, a perder alguém importante sem a chance de uma reconciliação… Se não retirar o lixo, os ratos voltam! É necessário resolver o foco do problema, mudar os velhos hábitos, ter coragem para o novo, reaprender com a simplicidade de uma criança, a não deixar para depois aquilo que deveria ter sido resolvido ontem.

Continue Reading

Retomando o propósito

Boa noite galera! Quanto tempo heim?!

Desculpem minha ausência, mas não tenho conseguido me organizar de jeito maneira para postar aqui…

Essa semana lembrei da promessa que fiz a Deus, lembrei-me do propósito, o motivo pelo qual criei esse blog, e senti vergonha! Vergonha pelo fato de que não tenho me esforçado o suficiente, para cumprir aquilo que me dispus a fazer. A ajudar pessoas, mudar vidas, levar esperança àqueles que estão à beira de uma depressão, de um suicídio.

O blog vai mudar, aliás, vai retomar o seu propósito inicial. Talvez o número de acessos diminua, não tem problema! Se uma pessoa for alcançada pelo amor de Deus que transborda em mim, já será o suficiente.

Até mais.

Continue Reading