Manifesto no SPFW 2017 – Basta ao assédio!

Justo no mês que eu tinha tanto conteúdo bacana para postar, todos os imprevistos possíveis surgem e não consigo cumprir o planejado… Mas vamos lá! 

Na última quinta, dia 16/03 rolou o São Paulo Fashion Week, e o desfile de Amir Slama surpreendeu a todos, trazendo frases de repúdio ao assédio no corpo das modelos.

Trata-se da campanha ‘Sexismo Invisível’, idealizada pelo Estado e assinada pela agência de publicidade FCB, com o objetivo de promover o debate sobre o assédio, muitas vezes velado, cometido contra as mulheres.

É ótimo que a questão do assédio está sendo exposta em um evento de visibilidade internacional, contudo, é lamentável que nós mulheres precisemos “gritar” nosso nojo a esse comportamento hostil que nos inferioriza, inviabiliza, deprime, constrange!

A luta é diária ✊ É resistência, insistência pela conscientização do dever do respeito a nós, mulheres, com muita, pouca ou ausente de roupas. 

As mensagens foram bem “sutis”, porém, diretas. A tinta especial só aparecia com a luz do flash. Ideia genial! Obrigada Estadão e Amir Slama por levarem esse nosso manifesto às passarelas.

Assistam ao desfile completo 👇

Quem determina o que está na moda é o consumidor. E a moda ajuda a mulher a se expressar e a se colocar”, diz Amir Slama. “Muitos homens ainda encaram como uma provocação o fato de as mulheres quererem usar roupas curtas ou decotadas. Isso é um absurdo”.

Não podemos nos calar, é cansativo, eu sei! Mas acredite mulher, a culpa não é da sua roupa se você for assediada, estuprada, morta! Não pense que você “deu motivos”. O único motivo para que um cidadão te ofenda e invada teu espaço de tal maneira é a falta de educação, limites e total ausência de caráter deste ser.

O assédio não é paquera nem elogio. É uma manifestação grosseira, independentemente da vontade da pessoa a quem é dirigida e que pode ser configurado crime. DENUNCIE: 180 (Central de Atendimento à Mulher). 

🗣 Já passou (ou tem passado) por alguma situação dessas? Comenta aqui, vamos conversar.

Continue Reading