A solidão da maternidade: “e o bebê como está?”

Ainda na gestação, ouvi diversas vezes falar sobre a “solidão da maternidade”, no primeiro momento achei que se tratava de mães que criam seus filhos sozinhas, mas não. Vai muito além…

Sorriso de quem venceu 😂

A gente não dorme direito e quando acorda, faz um check-list mental para deixar tudo em ordem antes de trabalhar.
E para as que trabalham em casa, esse “check-list” é tipo barra de rolagem infinita, né?

Não sei a cozinha de vocês, mas a minha… Sabe aquele desenho, caverna do dragão? Então, toda vez que acho que vou sair dela, algo me faz voltar, é desesperador!

No meu caso, o bebê até que é de boa, dá aquele trabalho normal de todo bebê. O problema são todos os pratinhos que precisam estar girando, para a casa funcionar. Cansativo!

Comemos o que tiver, quando dá… A sensação as vezes é de ser invisível. As pessoas tem a péssima mania de dizer… “Mas se eu consigo/se fulano conseguiu/ você consegue”. Parem com isso! 

A gente ama quando se preocupam com nossos babys, mas também precisamos de um “Como você está?” “Precisa de ajuda?“, “Deixa que eu faço pra você” de vez em quando.

Não compare uma mãe com outra, cada uma sabe da sua carga, das suas motivações, limitações, força, tolerância e capacidade!

O pai, os avós, os tios podem até ser presentes na criação, mas a carga mesmo é da MÃE! Como eu li num texto hoje da Daianna Carla: “Com nascimento de um filho, a gente renasce sim, mas parte da gente morre, pra não dizer grande parte“. Por trás de uma mulher “com filho”, existe uma mulher, existe uma pessoa…

Precisamos lembrar de nós, conversar fiado com as amigas, fazer as unhas (recuperar a dignidade 🤦🏾‍♀️), sair de casa! Nem que seja para ir a padaria, mas saia!

A maternidade é maravilhosa, mas é exaustiva, solitária e desafiadora, precisamos de uma rede de apoio 🤱🏾🖤

 

Veja também

Deixe seu comentário, seu feedback é muito importante para mim! E não esqueça de curtir a página 👍🏾